Sem PT, atos pelo Brasil pedem impeachment de Bolsonaro

Petistas preferiram não se juntar ao MBL nas ruas
Por Terra

Grupos de oposição promovem neste domingo (12) uma onda de manifestações em defesa do impeachment do presidente Jair Bolsonaro, mas sem a participação de militantes de PT e Psol. Os atos foram convocados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem Pra Rua (VPR), que já haviam liderado os protestos pelo impeachment de Dilma Rousseff em 2015 e 2016. Por conta disso e do antigo apoio desses grupos a Bolsonaro, petistas preferiram não sair às ruas neste domingo.

Foto: TerraOs atos foram convocados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem Pra Rua
Os atos foram convocados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem Pra Rua

"Chega de Bolsonaro, PT e Lula", disse o vereador Fernando Holiday (Novo-SP), ex-MBL, durante a manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo. No entanto, apesar do boicote petista, os protestos tiveram a presença de militantes do PDT, partido de Ciro Gomes, do PCdoB e da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Ainda assim, os atos pelo impeachment de Bolsonaro reuniram visivelmente menos gente do que os protestos contra a democracia convocados pelo presidente em 7 de setembro.

Na ocasião, Bolsonaro atacou os ministros Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), e voltou a defender o voto impresso, pauta já derrubada pelo Congresso.

As manifestações do Dia da Independência reacenderam o debate sobre um possível impeachment do presidente, que acabou publicando uma carta em tom de desculpas escrita com a ajuda de seu antecessor, Michel Temer.