Ômicron pode acelerar o fim da pandemia na Europa, diz OMS

'Assim que a onda da Ômicron se acalmar, haverá imunidade por algumas semanas e meses'
Por O Globo
Foto: ANGELA WEISS / AFPMulher passa por teste de Covid-19 em uma van de teste móvel, na cidade de Nova York. Os EUA registraram mais de 1 milhão de casos de Covid-19 em 3 de janeiro
Mulher passa por teste de Covid-19 em uma van de teste móvel, na cidade de Nova York. Os EUA registraram mais de 1 milhão de casos de Covid-19 em 3 de janeiro

A variante ômicron do coronavírus, com a qual 60% dos europeus poderão ser infetados antes de março, deu lugar a uma nova fase da pandemia de Covid-19 na região e poderá acelerar o seu fim, disse o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa.

— É plausível que a região esteja se aproximando do fim da pandemia — declarou à AFP Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa, embora tenha pedido cautela, dada a versatilidade do vírus.

— Assim que a onda da Ômicron se acalmar, haverá imunidade por algumas semanas e meses, seja graças à vacina ou porque as pessoas terão sido imunizadas pela infecção, e também uma queda devido à sazonalidade — considerou.

Por estar no hemisfério Norte, a Europa enfrenta o inverno neste momento, período no qual as doenças respiratórias são transmitidas com mais facilidade.

No entanto, a Europa não está numa "era endêmica", sublinhou o responsável.

— Endêmico significa [...] que podemos prever o que vai acontecer; esse vírus surpreendeu mais de uma vez, então temos que ter cuidado — insistiu Kluge.