França fecha fronteiras para países fora da UE a partir de domingo (31)

A exigência já estava em vigor desde o último domingo (24) para o transporte marítimo e aéreo
Por Alexandra Teodoro

O primeiro-ministro da França, Jean Castex, anunciou hoje que o país fechará suas fronteiras para cidadãos de fora da União Europeia a partir da meia-noite (hora local) do próximo domingo (31), "a menos que haja um motivo convincente". A medida tem como objetivo conter o avanço da covid-19 no país. Para os demais que tiverem autorização para entrar na França, será necessário apresentar um teste PCR negativo, "com exceção de trabalhadores transfronteiriços", acrescentou Castex. A exigência já estava em vigor desde o último domingo (24) para o transporte marítimo e aéreo, devendo, portanto, ser estendida ao transporte terrestre.

Foto: UolQuem tiver autorização para entrar na França deverá, ainda, apresentar um teste PCR negativo
Quem tiver autorização para entrar na França deverá, ainda, apresentar um teste PCR negativo

"Todas as viagens de e para todos os nossos territórios ultramarinos também estarão sujeitas à produção de motivos convincentes a partir deste domingo", disse o primeiro-ministro em breve discurso transmitido pela televisão. Além dessas mudanças, Castex anunciou ainda o fechamento de grandes centros comerciais — "isto é, os que mais promovem as bebidas alcoólicas"— e o reforço dos controles sobre o cumprimento do toque de recolher já em vigor.

A França já passou por dois confinamentos — sendo o primeiro deles, no início da pandemia, particularmente restritivo. "Ainda podemos nos dar a chance de evitar o lockdown", declarou. "A polícia vai se mobilizar para controlar o descumprimento do toque de recolher, a organização de festas clandestinas e a abertura ilegal de restaurantes em proporções crescentes". O país registrou quase 23 mil novos casos confirmados de covid-19 nas últimas horas — nível inferior aos vizinhos, mas ainda muito alto, no entendimento do governo. Ao todo, a França soma 3.212.613 infectados e 75.765 mortes desde o início da pandemia, segundo balanço da Universidade Johns Hopkins. 

Restrições também na Alemanha

Mais cedo, a Alemanha também anunciou restrições para viajantes, proibindo a entrada por via terrestre, marítima e aérea de pessoas vindas de países fortemente afetados pelas variantes do coronavírus. A decisão, válida de amanhã até 17 de fevereiro — a princípio —, inclui países como Reino Unido, Portugal, África do Sul e Brasil. O decreto, porém, tem várias exceções, em particular para os alemães que vivem nesses países, aos cidadãos desses países residentes na Alemanha, aos passageiros em trânsito ou que fazem parte da circulação mercante. 

A proibição foi imposta pelo governo alemão por iniciativa própria, não dependendo de seus parceiros da UE, que não conseguiram chegar a um consenso sobre o assunto. Mais populosa, a Alemanha tem situação um pouco melhor que a França, tendo registrado 2.207.278 casos confirmados e 56.238 mortes pela covid-19 desde o início da pandemia, ainda de acordo com a Johns Hopkins.

(Com AFP e RFI).