Cia. Dança Eficiente é contemplada com prêmio FUNARTE e faz novo espetáculo

O espetáculo vem com formato novo feito para o audiovisual e possuindo também uma instalação viva
Por alexandra teodoro

Não é de hoje que o público aprecia o potencial artístico das pessoas com deficiências através da dança contemporânea por meio da companhia Cia Dança Eficiente. A companhia é composta por vários artistas, cada um com algum tipo de limitação, sendo alguns cadeirantes, deficientes visuais, auditivos e intelectuais.

Foto: assessoriaDança eficiente
Dança eficiente

Muitos foram os espetáculos que marcaram a trajetória do grupo, entre eles destacam-se os “Desafio Sobre Rodas”, "Meu Corpo Não é Mudo", “Dançando Sobre Rodas'', “Espetáculo: A minha Maneira” e o qual está sendo executado no momento o Espetáculo Plenitude. A Dança Eficiente trabalha o desenvolvimento do corpo e principalmente seus potenciais, sua autoestima e sua dependência.

Foto: assessoriaDança eficiente
Dança eficiente

No ano de 2021 o grupo volta com tudo, estreando o espetáculo Plenitude montado completamente de forma virtual. O projeto veio para valorizar as pessoas com deficiências e potencializar a dança eficiente no Piauí. De acordo com o professor e coreógrafo Luis Carlos Vale, o espetáculo "Plenitude" tem a ideia de continuidade do trabalho que já tem cerca de 15 anos, ele veio como a cereja do bolo que busca mostrar o empoderamento da pessoa com deficiência onde mostra que as pessoas com deficiência são completas.

O espetáculo vem com formato novo feito para o audiovisual e possuindo também uma instalação viva, além de despertar nos dançarinos a improvisação respeitando as possibilidades dentro do corpo de cada artista. O trabalho desenvolvido permite que pessoas com e sem deficiência quebrem o preconceito sobre eles e aprendam a conhecer o outro melhor. No início do processo foi feito uma pesquisa para tentar descobrir como seria essa dança para pessoa com deficiência e a questão da acessibilidade em que relataram suas expectativas sobre o projeto.

Jaqueline Santos dançarina da companhia desde o início relata que o novo espetáculo Plenitude aumentou a autoestima dela. “A dança eficiente contribui para isso, ter outra visão e ajuda as pessoas entenderem como é a vida de uma pessoa com deficiência, não importando qual tipo de deficiência, física, auditiva, visual. Ela integra os deficientes na sociedade mostrando os talentos dessas pessoas, permitindo a cada um se descobrir”.

“A dança foi algo incrível na minha vida antes de fazer parte da Companhia Cia Dança Eficiente eu era muito tímida além de não conseguir me aceitar fisicamente. Eu aprendi a trabalhar essa questão de me achar linda como sou mesmo com minhas limitações. O trabalho que é desenvolvido com todas nós só vem contribuindo para nosso crescimento pessoal e melhorando nosso corpo” diz Dinha Melo, dançarina da companhia.

Foto: assessoriaDança eficiente
Dança eficiente

“Depois que entrei na dança eu tive muitos avanços, a rotina diária de dançar me fez diminuir as dores no corpo que eu sentia frequentemente. Hoje eu olho para trás e faço uma reflexão e percebo que sem a dança não sou ninguém. Minha vida melhorou 100% aos 48 anos de idade, vejo que fiz muitas amizades dentro e fora do grupo, espero que a dança nunca acabe e que possamos fazer muitos espetáculos” diz Ana Cristina.

Os espetáculos apresentados durante toda a trajetória marcaram a vida de muitos que passaram pela dança e mudou completamente a vida dessas pessoas. A dança possibilita principalmente a sensação de bem estar e o autoconhecimento.

Saiba mais sobre: