25 de novembro: data em que nasceu Eça de Queiroz e morreu Maradonna

É também o dia Mundial da Erradicação da Violência contra a Mulher
Por alexandra teodoro

o Dia 25 de novembro ficou estabelecido como o Dia Mundial para a Eliminação da Violência contra a Mulher, proclamado pela Organização para as Nações Unidas (ONU) em 1999 com o apoio de mais de 60 governos. O objetivo de estabelecer uma data para esta causa foi o de que os governos e a comunidade internacional realizem ações concretas para acabar com a violência contra a mulher. Dependendo de cada país, entre 25% a 75 % das mulheres são maltratadas fisicamente em seu lar. Na Espanha a cada semana morre uma mulher assassinada por seu marido, companheiro ou noivo e 600 mil espanholas confessam haver sofrido maus tratos alguma vez em sua vida.

Foto: ArquivoEça de Queiroz
Eça de Queiroz

Mais de um século antes, no dia  25 de novembro de 1845 nascia na cidade de Póvoa de Varzim, em Portugal, o escritor Eça de Queirós. Considerado um dos mais importantes escritores portugueses, foi autor de livros consagrados como “Os Maias” e “O crime do Padre Amaro”. Seus trabalhos foram traduzidos para aproximadamente 20 idiomas. Além de escritor, também exerceu a carreira diplomática, a partir de 1873, quando foi nomeado cônsul em Havana. Seus anos mais produtivos, contudo, foram na Inglaterra, entre 1874 e 1878, quando trabalhou em Newcastle e Bristol, onde escreveu “A Capital”. Também publicou esporadicamente no Diário de Notícias, de Lisboa. Depois, em 1888, foi nomeado cônsul em Paris. Casou-se aos 40 anos com Emília de Resende, com quem teve quatro filhos: Alberto, Antônio, José Maria e Maria. Eça de Queirós morreu no dia 16 de agosto de 1900, na sua casa de Neuilly, perto de Paris.

Foto: ArquivoFidel Castro
Fidel Castro

Nesse mesmo dia, no ano de 2016 o mundo deu adeus ao político e revolucionário cubano Fidel Castro. Ele morreu em Havana, a capital de Cuba, aos 90 anos. Fidel estava afastado da presidência de Cuba desde 31 de julho de 2007, quando, surpreendentemente, anunciou que estava passando o poder ao irmão Raúl, em caráter provisório, por conta de problemas de saúde. A renúncia oficial aconteceu no dia 2 de fevereiro do ano seguinte, assinalando o fim de um período de 49 anos no cargo e também o adeus do último líder histórico do comunismo.

Foto: ArquivoMaradonna
Maradonna
Foto: ArquivoMaradonna
Maradonna

O argentino Diego Armando Maradona, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, morreu em 25 de novembro de 2020, aos 60 anos. De acordo com o jornal Clarín, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa, na cidade de Tigre. O ídolo mundial havia passado por uma delicada cirurgia para drenar uma hemorragia do cérebro no início do mês.