Nos pênaltis, Atlético bate o Flamengo e vence a Supercopa

Os times de Mohamed e Paulo Sousa fizeram uma partida à altura da expectativa
Por Terra
Foto: TerraNos pênaltis, Atlético bate o Flamengo e vence a Supercopa
Nos pênaltis, Atlético bate o Flamengo e vence a Supercopa

Atlético-MG e Flamengo entregaram tudo. Neste domingo, na Arena Pantanal, os times de Mohamed e Paulo Sousa fizeram uma partida à altura da expectativa criada para a Supercopa do Brasil. O empate em 2 a 2 no tempo regulamentar já haviam sido de bom futebol, belos gols e alternâncias no placar. Contudo, as maiores emoções ficaram para a decisão por pênaltis com 24 cobranças. Hulk fez (pela segunda vez) e Everson pegou a de Vitinho.  Galo supercampeão!

Foi o Atlético-MG que saiu na frente, com Nacho, ainda no primeiro tempo. Na volta do intervalo, o Flamengo virou com Gabigol e Bruno Henrique, mas Hulk empatou e a decisão foi para os pênaltis. O placar de 8 a 7 foi consolidado após 24 cobranças, nas quais os dois times tiveram chances de liquidar a fatura.

Agora, Atlético-MG e Flamengo voltam suas atenções para os Estaduais. O Rubro-Negro enfrenta o Botafogo, na quarta, no Estádio Nilton Santos. O Galo volta a campo só no sábado, diante do Pouso Alegre, no Estádio Manduzão. No Brasileirão, na Copa do Brasil e na Libertadores, os caminhos de duas das mais fortes equipes podem se cruzar. E a expectativa será por outros grandes jogos.

Reforçado com David Luiz e Bruno Henrique entre os titulares, o Flamengo teve problemas no início do jogo, com Arana e Keno atacando pelo lado esquerdo, mas, a partir dos 10 minutos, o time de Paulo Sousa passou a dominar o jogo, com uma marcação agressiva, que não deixou o Atlético tocar a bola no campo ofensivo. Assim, com destaque para João Gomes e Filipe Luís dominando as ações, o Rubro-Negro passou criar chance atrás de chance na Arena Pantanal.

Contudo, apresentou o mesmo problemas de partidas do Carioca: falta de eficiência na finalização. Gabigol perdeu duas chances, Arrascaeta também ficou cara a cara com Everson, na bola aérea, a defesa do Galo foi resistindo.

Apesar da menor presença no campo de ataque, o time de Mohamed terminou o primeiro tempo com o mesmo número de finalizações do Flamengo: 7 a 7. O que levou o Galo a abrir o placar foi justamente a eficiência. Foram três chutes certos contra nenhum do rival. Um deles foi o de Arana, que recebeu com liberdade na entrada da área e arriscou. Hugo Souza espalmou para o meio da área, e Nacho Fernández apareceu para completar: 1 a 0 aos 41 minutos.

Na volta do intervalo, a intensidade do Flamengo foi ainda maior e o Atlético não resistiu. Foram 10 minutos de pressão até Filipe Luís encontrar Arrascaeta, que foi à linha de fundo e cruzou. Bruno Henrique cabeceou, Everson fez grande defesa, mas, no rebote, Gabi encheu o pé e comemorou com raiva: tudo igual na Arena Pantanal rubro-negra, que veio junto da equipe de Paulo Sousa.

Minutos depois, o técnico português sacou Everton Ribeiro - que fazia uma partida discreta - e acionou Lázaro. Em seu primeiro lance, o jovem venceu a marcação e deu passe na medida para Bruno Henrique, que "atropelou" Godín e tocou na saída de Everson: virada do Flamengo aos 18 minutos da etapa final.