Jardine vê início da Seleção perto da perfeição contra a Alemanha

Brasil abriu 3 a 0 no primeiro tempo, desperdiçou chances, levou susto, mas venceu por 4 a 2
Por globo.com
Foto: AssessoriaFutebol
Futebol

O técnico André Jardine festejou o resultado e o desempenho da seleção brasileira masculina de futebol na vitória por 4 a 2 sobre a Alemanha, na estreia nas Olimpíadas de Tóquio. Mesmo assim, reconheceu a necessidade de correções.

Em entrevista coletiva após a partida, Jardine destacou o bom primeiro tempo do Brasil, que chegou a abrir 3 a 0, mas admitiu a queda de rendimento na etapa final, quando a Seleção desperdiçou diversas oportunidades de gol.

– Fizemos um primeiro tempo perto da perfeição, em cima de tudo que tínhamos traçado, planejado. A estratégia de jogo, o estudo que fizemos. Analisamos o time deles na Euro sub-21, com o mesmo treinador, mesma base de equipe. Conseguimos montar uma estratégia que foi bem sucedida, com foco grande. Saímos do vestiário com uma energia muito alta, positiva. No segundo tempo, algumas coisas saíram do controle e são situações normais de uma equipe em formação. Vamos corrigir. O mais importante era estrear com essa vitória maravilhosa, num clássico mundial, jogando um futebol bem jogado, muito convincente, com placar até injusto pelo volume de situações que acabamos perdendo – analisou.

O duelo marcou o reencontro de Brasil e Alemanha, finalistas da Olimpíada Rio-2016 e, segundo Jardine, deixa aprendizados para a sequência do torneio.

– Foi mais uma página desse clássico, dessas duas seleções. Eu sonhava em escrever essa página brasileira, verde e amarela, da maneira que foi. Não consigo relaxar em momento nenhum. Mesmo no 3 a 0 segui jogando junto, lance a lance. A gente sabe que o jogo nunca está ganho. Foi mais uma lição que aprendemos todos. O pênalti (perdido por Matheus Cunha) gerou uma frustração. O quatro gol poderia ser definitivo. A Alemanha é uma seleção que precisa sempre ser respeitada, mesmo com um a menos se lançou ao ataque, não abdicando de tentar o resultado. É um misto de sensação, êxtase de um início de jogo bem executado, acima do que a gente esperava, e preocupação, vendo o time não encaixar a marcação. A Alemanha trocou a sua formação, gerou dificuldade e preocupação para agir rápido e neutralizar. O alívio com o quarto gol veio com a sensação de que fizemos uma grande partida e conseguimos a vitória – opinou o técnico.