Com combustíveis em alta, prévia da inflação é a maior para março em 6 anos

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em março

* Uol

Foto: UolAumento de combustível
Aumento de combustível

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), acelerou a 0,93% em março, novamente puxado pela alta dos combustíveis, após ficar em 0,48% em fevereiro. É o maior resultado para um mês de março desde 2015, quando o índice foi de 1,24%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,21%. Em 12 meses, o índice acumula aumento de 5,52%. Em março de 2020, a taxa foi de 0,02%.

A meta do Banco Central para a inflação neste ano é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos, ou seja, podendo variar entre 5,25% e 2,25%. Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em março. O maior impacto (0,76 ponto percentual) e a maior alta (3,79%) vieram dos Transportes, que aceleraram em relação a fevereiro (1,11%), sobretudo em decorrência do aumento nos preços dos combustíveis (11,63%). O maior impacto individual sobre o IPCA-15 no mês (0,56 p.p.) foi da gasolina, cujo preço médio subiu 11,18%. É o nono mês consecutivo de alta do combustível. Também houve altas no etanol (16,38%), no óleo diesel (10,66%) e no gás veicular (0,39%).

10º mês seguido de alta do botijão de gás O segundo maior impacto do IPCA-15 de março foi do grupo Habitação, com alta de 0,71% e contribuição de 0,11 p.p. no resultado do mês. Destaque para o gás de botijão, que aumentou 4,6% e adicionou 0,05 p.p. na pesquisa. É o 10º mês consecutivo de alta. Gás encanado (2,52%) e conta de água e esgoto (0,68%) aceleraram em relação a fevereiro, quando registraram 1,19% e 0,45%, respectivamente.