Secult lança Edital do Patrimônio Vivo do Piauí

Na próxima segunda-feira (24) o edital estará disponível no site
Por Alexandra Teodoro
Foto: Assessoriaarte
arte
Foto: Assessoriaarte
arte

Nessa quinta-feira (20), o secretário de Estado da Cultura, Fábio Novo, realizou uma live para falar sobre a Lei do Patrimônio Vivo. O decreto que regulamenta a Lei foi assinado em fevereiro deste ano e agora será lançado para todo o Piauí.

Na próxima segunda-feira (24), a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) disponibilizará no site (www.cultura.pi.gov.br) o Edital do Patrimônio Vivo do Piauí, beneficiando, este ano, 30 mestres ou grupos da cultura popular. O documento faz com que mestres e grupos que atuam em ofícios tradicionais piauienses reconhecidos no Brasil e no mundo, como arte santeira, renda de bilro ou manifestações culturais ligadas à dança, música e literatura de cordel, possam receber aporte financeiro para transmitir seus conhecimentos e experiências e, assim, perpetuar esses ofícios, ajudando a manter viva essa importante tradição para nossa cultura.

Para participar, as pessoas físicas e jurídicas precisarão preencher alguns requisitos que estarão descritos na Chamada Pública. As inscrições poderão ser feitas a partir da próxima segunda-feira (24), pelos Correios ou através do e-mail disponibilizado. Os participantes terão um prazo de 30 dias para realizar a inscrição, e ao chegar as inscrições na Secult, será nomeada uma comissão composta por cinco membros de notório saber cultural, que irão analisar e emitir um relatório. Será disponibilizado um prazo para recursos para quem não for contemplado possa se manifestar. Após isso, os nomes dos candidatos aptos serão enviados ao Conselho Estadual de Cultura para fazer a escolha.

“Após a realização de todos os trâmites legais, as pessoas e grupos selecionados passarão a receber uma bolsa mensal, e em troca elas estarão disponíveis para repassar, de diversas formas, os valores da nossa cultura popular. Esse registro será transcrito em um Livro de Tombo que ficará à disposição pública, e a pessoa passa a receber o título de Patrimônio Vivo do Piauí”, afirma o secretário estadual da Cultura, Fábio Novo.

Saiba mais sobre: