Residência com artista suíça explora o centro de Teresina

Uma parceria entre o Junta - Festival Internacional de Dança e a instituição Suíça Pro Helvetia
Por alexandra teodoro

Uma parceria entre o Junta - Festival Internacional de Dança e a instituição Suíça Pro Helvetia trouxe para Teresina a residência “Corpo, cidade e política__” com a artista suíça Antje Schupp. O resultado da residência irá compor a programação da 7ª edição do JUNTA, que acontece do dia 2 ao dia 4 de dezembro, na Escola Estadual de Dança Lenir Argento, no Centro de Artesanato, centro de Teresina.

Segundo Antje Schupp, eles fazem uma preparação corporal juntos na Escola de Dança e depois, juntamente com os demais artistas, segue para as ruas para explorar e criar. “Estou visitando a cidade e não a conhecia. Então, os artistas compartilham o que sabem da cidade comigo. Para mim é muito interessante. É uma troca de conhecimento não somente de dança”, disse a artista.
Sobre a proposta da residência, Antje buscou incorporar um outro elemento que represente a interação com a cidade. “O JUNTA trabalhou com três palavras-chaves: cidade, político e corpo. Para mim, quando estava lendo isso, pensei qual poderia ser a quarta palavra: espírito ou conexão ou vazio. Para mim, quando faço um trabalho para uma cidade, em local público, eu trabalho muito com os prédios, a estrutura, arquitetura e a história que podemos ver nos muros. Estamos trabalhando nossas histórias no centro da cidade, que nem sempre são visíveis para nós. Essa é uma conexão que me interessa: os lugares, as ruas da cidade, as pessoas que trabalham nela, coisas que às vezes o público pode ver e às vezes não pode ver”, completa.
A parceria foi viabilizada pelo projeto Coincidência, uma iniciativa piloto da Pro Helvetia para mapeamento e articulação de artistas na América do Sul. A residência teve início no dia 08 de novembro e contou com a participação de cinco artistas locais.

O convite veio com a participação da diretora artística e curadora Janaína Lobo no Swiss Dance Days em 2019, representando a equipe do JUNTA, graças ao programa de fomento para intercâmbios culturais entre Suíça e América do Sul, da Fundação Suíça para a Cultura Pro Helvetia. O JUNTA havia entrado no radar do programa após quatro anos de atuação em Teresina (PI), ficando conhecido por provocar reflexões políticas através da dança.

“Essa foi uma parceria que nos impulsionou a realizar esta edição do Festival. Mesmo sem patrocínio, a residência, que teve de ser adiada por conta da pandemia, acontece num momento incerto, mas necessário”, diz Janaína.

Saiba mais sobre: