O que assistir para chegar em dia ao Oscar 2021

Na lista de indicados deste ano, se sobressai o vigor do gênero documental

Ainda sem resposta concreta sobre se é uma arte capaz de mudar o mundo, o cinema continua tentando. Prova disso é a lista de indicados ao Oscar 2021, na qual se sobressai o vigor do gênero documental e seu afã político de denunciar desde o racismo à solidão e o abandono aos quais a sociedade condena seus velhos. Essa proposta de olhar cru e direto está presente mesmo nas obras de ficção, como é o caso de Nomadland, que concorre à estatueta de melhor filme. Mas também não falta o cinema autorreferente, que faz ode ao melhor da sétima arte. Na última semana antes da premiação, que acontece no dia 25 de abril, o EL PAÍS indica quais títulos assistir para se preparar para a grande noite dos Academy Awards.

Foto: El PaísOscar 2021
Oscar 2021 - Cena do filme 'Minari: em busca da felicidade'

O documentário da Amazon Prime Vídeo, indicado ao Oscar nessa categoria, é, ao mesmo tempo, uma história de amor e uma denúncia do racismo no sistema prisional norte-americano. O longa dirigido por Garrett Bradley conta várias décadas da vida de Fox Rich enquanto ela luta pela liberdade do marido, Robert, que cumpre uma pena de 60 anos por um roubo a banco que o casal cometeu nos anos 1990. Costurado como um diário dessa mãe e seus seis filhos que cresceram longe do pai, Time apresenta cenas gravadas pelo próprio diretor e também imagens caseiras —selecionadas entre mais de 100 horas de vídeo— feitas por Fox, que gravou, ao longo de anos, o cotidiano familiar para mostrar ao amor de sua vida quando ele saísse da prisão.

Na categoria de melhor filme internacional, o destaque é o dinamarquês Druk - mais uma rodada, que também concorre à melhor direção, feita por Thomas Vinterberg. Na trama, quatro professores decidem fazer um experimento psicológico e beber todos os dias, da hora que acordam até as oito da noite, inclusive durante o expediente, para testar os supostos benefícios do álcool em seu desempenho social e profissional. É claro que o experimento têm mais a ver com o desejo de curtir a vida adoidado e tapar buracos das crises da vida adulta —um não se conecta com a própria família, outro não tem família, o seguinte está recém começando uma—, mas o que move o filme é a pulsão pela vida em si, com suas dores e alegrias, sua euforia e suas ressacas. Tudo contado com graça, perplexidade, sentimento e humanismo. Druk - mais uma rodada está disponível nas plataformas Now, iTunes, Apple TV, Google Play e YouTube Filmes. Leia a crítica de Carlos Boyero sobre o filme: Uma jornada gloriosa e alcoólica.