Netflix lidera a preferência em ano marcado por diversidade

Com filmes como Mank, plataforma recebeu 35 indicações; a entrega do prêmio será dia 25 de abril
Por Alexandra Teodoro

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou nesta segunda-feira (15) os indicados ao Oscar 2021. Depois de uma passagem quase discreta por premiações anteriores, Mank, filme de David Fincher produzido pela Netflix, lidera a lista, com dez indicações: filme, diretor, ator (Gary Oldman), atriz coadjuvantes (Amanda Seyfried), fotografia, figurino, maquiagem e cabelo, trilha sonora original, design de produção e som.

Foto: ReproduçãoMeu pai
Meu pai

Já no segundo lugar, há seis filmes embolados: Meu Pai, Judas e o Messias Negro, Minari, Nomadland, O Som do Silêncio e Os 7 de Chicago.

Entre os estúdios, a liderança da Netflix é inquestionável. Em um ano de cinemas fechados por conta da pandemia de Covid-19, em que os serviços de streaming tinham tudo para se destacar nas premiações, a plataforma consolidou a posição que já vinha construindo há alguns anos e recebeu 35 indicações, 11 a mais que em 2020, pelos filmes Mank (10), Os 7 de Chicago (6), A Voz Suprema do Blues (5), Era uma Vez um Sonho (2), Crip Camp (1), Destacamento Blood (1), Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars (1), Rosa e Momo (1), O Céu da Meia-Noite (1), Professor Polvo (1), A Caminho da Lua (1), Pieces of a Woman (1), Shaun, o Carneiro, o Filme: A Fazenda Contra-Ataca (1) e O Tigre Branco (1).

A concorrência mais direta nos streamings, o Amazon Studios, ficou com 12 indicações, à frente de estúdios tradicionais, como Warner (8 indicações), Disney (8), Focus Features (7), Sony (6), A24 (6) e Searchlight (6). Entre os outros stremings, a Apple teve duas indicações, e o Hulu teve uma.

Confira no topo da página os comentários de Marcelo Hessel e Marcelo Forlani, com todas as informações sobre os indicados, os esnobados e os grandes favoritos à premiação, em um esquenta para a nossa grande live no dia da premiação, marcada para 25 de abril.

Diversidade

A pandemia de Covid-19 também teve outro efeito para o Oscar, além de impulsionar os serviços de streamings: com a ausência de produções maiores de grandes estúdios, paralisadas pelas restrições sanitárias, abriu-se espaço para produções mais independentes, que tornaram a lista de indicados uma das mais diversas da história.

Na categoria de melhor filme, entre os oito indicados, três têm protagonistas não brancos (Judas e o Messias Negro, Minari e O Som do Silêncio) e dois são protagonizados por mulheres (Nomadland e Bela Vingança), sendo que boa parte deles lida com a experiência de minorias étnicas e de gênero nos Estados Unidos.

Na categoria de direção, pela primeira vez duas mulheres foram indicadas no mesmo ano - Chloé Zhao (Nomadland) e Emerald Fennell (Bela Vingança). Zhao também foi a primeira mulher não branca a ser indicada na categoria em 93 anos de premiação, e a primeira mulher a receber quatro indicações no mesmo ano, por direção, montagem, roteito adaptado e melhor filme. E Fennel é a primeira mulher estreante a entrar na lista de direção. Ainda assim, a lista da Academia foi menos diversa que a dos Globos de Ouro, que também indicou Regina King, por Uma Noite em Miami.

Na história do Oscar, apenas cinco mulheres forem indicadas a melhor direção: Lina Wertmüller, por Pasqualino Sete Belezas (1977); Jane Campion, por O Piano (1994); Sofia Coppola, por Encontros e Desencontros (2003); Kathryn Bigelow, por Guerra ao Terror (2010); e Greta Gerwig, por Lady Bird (2018). Somente Bigelow levou uma estatueta para casa até hoje.

Já nas categorias de atuação, depois de anos dos protestos #OscarsSoWhite, a Academia também fez um esforço para contemplar artistas de diferentes origens étnicas, e nove atores e atrizes não brancos receberam indicações, um recorde. Steven Yeun, conhecido como o Glenn de The Walking Dead, é o primeiro americano de origem asiática a ser indicado como melhor ator, por Minari. Na mesma categoria, Riz Ahmed alcançou o feito de ser o primeiro ator muçulmano e de origem paquistanesa a receber uma indicação. A lista é completada por Chadwick Boseman, por A Voz Suprema do Blues - primeiro ator não branco a receber uma indicação póstuma -, Anthony Hopkins, por Meu Pai - o ator mais velho a ser indicado -, e Gary Oldman, por Mank.

A lista de coadjuvantes também inclui outros três atores negros: Daniel Kaluuya (Judas e o Messias Negro), Leslie Odom Jr. (Uma Noite em Miami) e LaKeith Stanfield (Judas e o Messias Negro).

Na categoria de melhor atriz, Viola Davis (A Voz Suprema do Blues) alcançou o recorde de atriz negra com mais indicações ao Oscar, quatro no total - duas como coadjuvante e duas como protagonista. Ela venceu em 2017 como coadjuvante, por Um Limite Entre Nós. Além dela, Andra Day também foi lembrada como melhor atriz por The United States vs. Billie Holiday. A categoria é completada por Vanessa Kirby (Pieces of a Woman), Frances McDormand (Nomadland) e Carey Mulligan (Bela Vingança). Entre as coadjuvantes, Youn Yuh-Jung (Minari) se tornou a primeira sul-coreana a ser indicada.

A premiação

A 93ª Cerimônia do Oscar está programada para o dia 25 de abril, bem mais tarde do que de costume, por conta da pandemia de Covid-19, que afetou as estreias de cinema e alterou o calendário das principais premiações.

O formato do Oscar 2021 segue incerto e nem o local está definido. Em vez de acontecer em seu local tradicional, o Dolby Theatre, em Hollywood, é possível que a cerimônia seja realizada na Union Station, uma grande estação de trem no centro de Los Angeles, onde seria possível receber convidados com distanciamento.

Especulações da indústria apontam que a Academia estuda um formato presencial, e que a cerimônia não deve acontecer de forma remota ou híbrida, como aconteceu no Emmy e no Globo de Ouro.

Acompanhe a cobertura completa do Oscar 2021 no Omelete, com críticas, reportagens, vídeos e podcasts especiais a cada semana, até o grande dia da cerimônia do Oscar 2021 - e da live do Omelete! -, em 25 de abril.

Veja a lista completa de indicados:

MELHOR FILME

Meu Pai

Judas e o Messias Negro

Mank

Minari

Nomadland

Bela Vingança

O Som do Silêncio

Os 7 de Chicago

MELHOR ATOR

Riz Ahmed - O Som do Silêncio

Chadwick Boseman - A Voz Suprema do Blues

Anthony Hopkins - Meu Pai

Gary Oldman - Mank

Steven Yeun - Minari

MELHOR ATRIZ

Viola Davis - A Voz Suprema do Blues

Andra Day - The United States vs. Billie Holiday

Vanessa Kirby - Pieces of a Woman

Frances McDormand - Nomadland

Carey Mulligan - Bela Vingança

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Maria Bakalova - Borat: Fita de Cinema Seguinte

Glenn Close - Era uma Vez um Sonho

Olivia Colman - Meu Pai

Amanda Seyfried - Mank

Yuh-Jung Youn - Minari

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Sacha Baron Cohen - Os 7 de Chicago

Daniel Kaluuya - Judas e o Messias Negro

Leslie Odom Jr. - Uma Noite em Miami

Paul Raci - O Som do Silêncio

Lakeith Stanfield - Judas e o Messias Negro

MELHOR FOTOGRAFIA

Judas e o Messias Negro

Mank

Relatos do Mundo

Nomadland

Os 7 de Chicago

MELHOR FIGURINO

Emma

A Voz Suprema do Blues

Mank

Mulan

Pinóquio

MELHOR DIREÇÃO

Thomas Vinterberg - Druk: Mais uma Rodada

David Fincher - Mank

Lee Isaac Chung - Minari

Chloé Zhao - Nomadland

Emerald Fennell - Bela Vingança

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Collective

Crip Camp: Revolução pela Inclusão

The Mole Agent

Professor Polvo

Time

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM

Collete

A Concerto is a Conversation

Do Not Split

Hunger Ward

A Love Song for Latasha

MELHOR MONTAGEM

Meu Pai

Nomadland

Bela Vingança

O Som do Silêncio

Os 7 de Chicago

MELHOR FILME INTERNACIONAL

Druk: Mais uma Rodada (Dinamarca)

Better Days (Hong Kong)

Collective (Romênia)

O Homem que Vendeu Sua Pele (Tunísia)

Quo Vadis, Aida? (Bósnia)

MELHOR ANIMAÇÃO

Foto: ReproduçãoA caminho da lua
A caminho da lua

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica

A Caminho da Lua

Shaun, o Carneiro, o Filme: A Fazenda Contra-Ataca

Soul

Wolfwalkers

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM

Emma

Era uma Vez um Sonho

A Voz Suprema do Blues

Mank

Pinóquio

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

Terence Blanchard - Destacamento Blood

Trent Reznor e Atticus Ross - Mank

Emile Mosseri - Minari

James Newton Howard - Relatos do Mundo

Trent Reznor, Atticus Ross e Jon Batiste - Soul

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

“Fight for You” - Judas e o Messias Negro

“Hear my Voice” - Os 7 de Chicago

“Husavik” - Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars

“Io Sí” - Rosa e Momo

“Speak Now” - Uma Noite em Miami

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

Foto: ReproduçãoA voz suprema do blues
A voz suprema do blues

Meu Pai

A Voz Suprema do Blues

Mank

Relatos do Mundo

Tenet

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

Burrow

Genius Loci

If Anything Happens I Love You

Opera

Yes-People

MELHOR CURTA-METRAGEM

Feeling Through

The Letter Room

The Present

Two Distant Strangers

White Eye

MELHOR SOM

Greyhound

Mank

Relatos do Mundo

Soul

O Som do Silêncio

MELHORES EFEITOS VISUAIS

Love and Monsters

O Céu da Meia-Noite

Mulan

O Grande Ivan

Tenet

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Borat: Fita de Cinema Seguinte

Meu Pai

Nomadland

Uma Noite em Miami

O Tigre Branco

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Judas e o Messias Negro

Minari

Bela Vingança

O Som do Silêncio

Os 7 de Chicago