Festival supera expectativas: música e artes visuais dominando o espaço

Piaga ainda contou com exibição de curtas-metragens e masterclass para artistas e produtores
Por alexandra teodoro

Foram momentos memoráveis! Uma verdadeira celebração á arte piauiense. O Piaga aconteceu na sexta e sabado, respectivamente dias 19 e 20 de nopvembro, no Complexo Clube dos Diários, Teatro Torquato Neto e Espaço Cultiural osório Júnior. Essa foi a tereira edição, que teve como mote "Ouro Cultural" e até a marca do evento entrou nesse clima. O Piaga Dourado fez sucesso.

A galeria recebeu o artista de União Henágio Sampaio, ocupando um espaço de destaque com 10 telas suas, em variados estilos e técnicas que ele domina. No mesmo espaço foi possivel apreciar uma tela imensa do artista João Torres, batizada por ele de "Portão para meu universo interior".

Foto: assessoriaGaleria
Galeria - Rafael Noleto

Do artista visual e músico Eric Fryer , foi possivel apreciar a obra "Estudo de Imprecisão", óleo sobre tela, que gerou bastante curiosidade junto ao público. Entre as obras, tela de Josefina Gonçalves e outra do artista Inacio Portela. Uma das grandes surpresas é o trabalho da artista Gio Silveira. Duas obras suas fizeram parte da exposição, Retrato e Mãe. E, repetindo a dose, o artista Fernando Ramalho que esteve nessa e na primeira edição do festival (em 2019).

Lucas Figueiredo expos fotografias, assim como Maria Vitória que teve quatro de seus trabalhos na galeria. Os artistas Pedro Vinicius, Thayssa e Melzes, Marcellys levaram produções exclusivas suas. Rafael Noleto, jornalista, sacerdote piaga e escritor, se fez presente com a literatura. Seu livro Mitologia Piaga foi a sensação. 

Foto: assessoriaShows
Shows- Preto Kedé

Nessa linguagem da espiritualidade, o Piaga contou ainda com a Amarzen, uma loja linda que tem sede no Shopping Riverside e esteve presente no evento com um pouco do que a loja oferece, desde objetos de decoração, incensos, velas. A cartomante Dai Caroline e a astróloga Hyala atenderam várias pessoas interessadas nas consultas e leituras.

Ainda na Galeria, o multiartista Ithalo Furtado ouviu e escreveu histórias agtravés do seu projeto de escrita criativa. E, na musica, não podia faltar o Jazz, representado pelo projeto Terça Instrumental. 

Foto: assessoriaShows
Shows - Tércia Maria no show do Alma Roots

As medidas restritivas não forma empecilho para o público, afinal a produção cumpriu todas as orientações, desde álcool, verificação do comprovante de vacinação e controle de lotação. 

Para as exibições de curta-metragem foi possivel assistir a filmes de Thiago Furtado, Moura, Maria Vitória e Júnior Porto , Emanuelle Alencar (com protagonismo de Lourrane)

Mas, o Piaga das artes visuais soma com o Piaga da música, de modo que as duas noites foram completamente mágicas por conta das atrações escolhidas, a energia que eles imprimiram aos shows e muito tmabé, pela participação do público.

Coube à Florais da Terra Quente abrir a noite de sexta. Oportunidade em que a banda mostrou a força do seu público. Na sequência tocou Valor de Pi, colocando o público para dançar. A terceira atração foi o rapper Preto Kedé, levando ao palco sua ousadia, a força da periferia, traduzida em letras fortes.

Foto: assessoriaShows - Neanderthais band
Shows - Neanderthais band

A Neandertais Band foi a penúltima banda a se apresentar no primeiro dia de festival. O quarteto Amonrá Nunes, Ezequiel Veloso, Izidio Cunha e Filipi Souza botaram pressão , com blues  e rock and roll da melhor qualidade. a noite foi encerrada com a Deguella band, representante do new metal buscando manter-se cada vez mais viva no cenário da música piaueinse.  

No sábado, o jornalista Jader Damasceno ministrou uma masgterclass sobre "Primeiro contato com a mídia", onde abordou técnicas d ecomo abrir espaço nos meios de comuncação, sendo eficiente com seu material de apresentação. 

Para a noite, o festival reservou o som de Machado Junior, passando dos 35 anos de carreira e comemorando em grande estilo, com lançamento de "Vamos musicar o amor".  machado cantou parcerias suas com outros artistas piauienses, dentre eles, o homenageado Edvaldo Nasceimento, que deu nome ao Palco Piaga.

A banda Garoto Andróide deu sequencia aos trabalhos no sábado. Um som diferente, focado no impacto. Seguindo a programação, veio a banda Nós e Chico, do municipio de Floriano, pela primeira vez no Piaga. Aproveitaram para mostrar ao público seus mais recentes lançamentos.

Fronteiras Blues também apresentou novas canções. A performance do vocalista, Janis Oliveira é um show à parte. E se o assunto é show, foi bem isso a apresentação do Narcoliricista que chegou com convidados. A trinca e ainda o cantor O Transtorno. Narcoliricista chamou na grande a classe politica através de letras fortes.

A noite  e o Piaga foram finalizados pelo reggae da banda Alma Roots. No show, houve uma intervenção da atriz Tércia Maria, pelo Dia da Consciência Negra. Tudo lindo e diga-s e de passagem o público só arredou o pé quando a música parou

Saiba mais sobre: