Coordenadoria da Mulher inicia grafitagem na nova sede com meninas e mulheres

O grafite está sendo feito na nova sede da CEPM na zona Norte de Teresina
Por Alexandra Teodoro

A Coordenadoria Estadual de Políticas para as Mulheres (CEPM), em parceria com o projeto  “Kunhãgwé: pintando afetos e saberes atravessados por mulheres”, iniciou no último final de semana a pintura do muro da nova sede, localizada na Avenida Petrônio Portella, 1900, bairro Aeroporto, zona Norte de Teresina.

Participaram da primeira etapa da ação de grafitagem dez artistas que tiveram formação sobre ExperiVivências com Muralismo & Artevismo Feminista, ExperiVivências com o Grafitti Queens e Yapai Waina, ExperiVivências originárias na Tocada Onça, ExperiVivências com o Coletivo Voragem e Enfrentamento à Violência Doméstica. Esse primeiro momento de  formação possibilitou às mulheres e meninas decidirem  juntas quais desenhos fariam parte da estrutura da sede da Coordenadoria de Mulheres.

Durante a última semana, elas também participaram de oficina sobre a poética do afeto como potência de criação artística e dramaturgias na arte, com a finalidade de despertar nas artistas o empretecimento do processo artístico como uma forma de recontar a história negra. “Pensar em muralismo, a partir da poética do afeto do empretecimento, contribui para que as políticas públicas cheguem nas mulheres pretas e possam acalentar as suas dores, ao mesmo tempo que lutam pela existência ocupando os espaços sociais. Essa ação de mulheres gratifitando os muros afeta a sociedade para transformar”, explica a artista Mallu Mendes.

“Foram duas semanas de trocas de saberes e fazeres com 25 mulheres artistas do Piauí. Essa oficina culminou em uma ação super potente feita em parceria com um espaço importantíssimo para a cidade de Teresina: a Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres. Foi minha primeira experiência grafitando e compondo um mural com outras mulheres artistas e não poderia ser em local melhor e mais significativo. A liberdade que a Coordenadoria nos deu para criamos, expressarmos e ocuparmos a fachada foi de extrema importância para nosso desenvolvimento artístico individual (e coletivo) e do nosso interesse em fazer parte do enfrentamento à violência doméstica e do fortalecimento das redes de mulheres de forma sensível, por meio da arte e da cultura produzida por mulheres da cidade” pontuou a artista Alana Sousa.

Foto: AssessoriaO grafite está sendo feito na nova sede da CEPM na zona Norte de Teresina
O grafite está sendo feito na nova sede da CEPM na zona Norte de Teresina

A Coordenadora Estadual de  Políticas Públicas para as mulheres, Zenaide Lustosa,  pontua que “é importante essa parceria com as meninas e mulheres que trabalham como muralismo, a grafitagem, que vão nos dar esse momento significativo de trabalhar a arte. É colocar sua criatividade na estrutura física da CEPM. Vai para além disso. Não apenas a beleza física, mas o significado do que representa a arte e o que é construído nessa parceria e que vai possibilitar as mulheres sentirem-se acolhidas a partir do acolhimento de outras mulheres”.

“Nós temos como objetivo ecoar narrativas e acolher as mulheres do Piauí, principalmente as que estão em situação de vulnerabilidade. A Coordenadoria não é só um espaço de apoio, mas também um espaço que busque mobilizar o acolhimento. Queremos lutar contra a violência e desigualdades, mas também qualidade de vida e o direito de ser respeitada. Queremos afetos em redes coletivas”, destaca a idealizadora do projeto Kunhãgwé, a artista LureBordosa.