Circo Zoin : resistência cultural há 25 anos em atuação

Dezenas de instrutores ao longo desses anos vem passando suas técnicas ao novos alunos
Por Alexandra Teodoro

O ano era 1996 quanndo a ideia surgiu. Foi ampliada quando em 1997, participando da Universidade do Circo no Rio de Janeiro, o coordenador da escola Frank Mamu recebeu um incentivo verbal de Humberto Braga, Cléia Silveira, Hermínia Silva e Alice Viveiros de Castro que passaram pra o sonhador Frank, todas as orientações para que o projeto fosse tirado do papel.

Foto: AssessoriaCirco Zoin 2
Circo Zoin 2

"Me orientaram como proceder para o conhecimento técnico e pedagógico, com a promessa do então presidente da Funarte, na época, Humberto Braga, em contribuir através da Funarte com a aquisição de material e aparelhos de segurança no circo", explicou Frank Mamu.

Foto: AssessoriaCirco Zoin 5
Frank Mamu - coordenador da Escola de Circo Zoin

A ideia principal era ofertar as crianças e adolescentes da zona norte da capital uma oicupação extra classe com atividades prazerosas que fossem capazes de proporcionar uma profissionalização para aqueles que se identificassem com a arte circense. Os resultados mais esperados não podiam ser outros: redução da violência, diminuição da evasão escolar e combate ao uso e consumo de drogas, principalmente nos bairros Matadouro, Mafrense, Parque Alvorada, São Joaquim ...etc). Frank Mamu conta que no início das atividades no Teatro do Boi utilizaram material reciclável, como varas de bambu, pneus, colchõs descartados,  cabos de vassoura e vários outros objetos. " Agente se virava com o que tinha mesmo", conta.

Foto: Assessoriacirco 6
circo 6

Em 1999 o projeto foi encaminhado para a Funarte, quando a escola passou a ter apoio prometido pelo presidente Humberto. "Foi enviado um recurso através da antiga Fundac para aquisição de material para treinamento e segurança no circo o que nos fortaleceu a dar continuidade ao objetivo do projeto.", falou o coordenador.

A partir daí o Circo Zoin foi buscar parcerias com a Escola Nacional de Circo, no Rio Janeiro,  para elaboração do plano pedagógico que possibilitou a ampliação com segurança do número de atendidos. A Escola passou a integrar a Rede de Circo do Mundo Brasil e com os constantes encontros de formação de gestores e instrutores tornou-se reconhecida no país inteiro como um importante núcleo de transformação social.

Em pouco menos de 7 anos a instituição começou a revelar seus valores e muito jovens que viviam sem perspectiva de uma formação ou socialização tornaram- se grandes artistas e passaram a integrar diversas Cia's pelo País e até pelo exterior, como aconteceu com Cleiton Tiagoque foi atuar no Beto Carrero world. O artista circense viajou por vários países. Já Euribeto Garcia integrou a Cia. Francesa Ô Cirque .

Em constante aprendizado, dezenas de instrutores, ao longo desses 25 anos vem passando suas técnicas aos novos alunos que chegam ao projeto. Por suas práxis em circo social a instituição já foi diversas vezes premiada e ganhou por duas vezes o prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo.

No ano em que o Cirque eu Soleil veio ao Brasil pela primeira vez a Escola de Circo Zoin foi convidada a levar sua delegação para assistir e participar de oficinas em São Paulo. Frank Mamu conta que isso foi possível graças ao reconhecimento da Prefeitura de Teresina que custeou passagens e hospedagem da delegação. A viagem teve cobertura da TV Cube que gerou o documentário "Caminhos de um Sonho", pela jornalista Neyara Pinheiro.

Ao longo da sua existência a escola passou por diversos problemas pela falta de apoio e sempre se manteve através dos editais a nível naciona. Realizou em todo Estado projetos financiados pela Funarte, Ministério da Cultura, Correios e Telegrafos,Brasilfoundation, Petrobras, dentre outros editais. E mesmo com tanta referência, a nível de Estado a Escola de Circo Zoin conseguiu aprovar umm projeto mais recentemente, no ano de 2018, de 20 mil reais, através do SIEC - Sistema de Incentivo à Cultura, do estado do Piauí.

Durante esse periodo de pandemia, desde março de 2020 a insituição vem sendo mantida através de doações de amigos e agora com a aprovação do projeto de Ocupação da Lei ALDIR BLANC consegue respirar um pouco. A proposta visa dar melhores condições de atendimento aos seus novos alunos e  "ainda proporcionar geração de renda para Instrutores e pessoal de apoio da escola", fala Frank Mamu. Ele teforça que esse projeto tem a duração de um ano e que certamente irá alavancar a arte do circo no Piauí.

Foto: AssessoriaCirco Zoin 4
Circo Zoin 4
Foto: AssessoriaCirco Zoin 3
Circo Zoin 3
Foto: AssessoriaCirco Zoin 1
Circo Zoin 1

Atualmente a maior necessidade da Escola de Circo Zoin é de ter seu próprio espaço. Nos últimos anos as atividades vem sendo realizadas em um galpão que pertence ao IPHAN, no Espaço Trilhos e que sendo o órgão vai entrar em reforma em breve e deverá ser desocupado.

Saiba mais sobre: