Chegou o B-R-O BRÓ e o momento de ouvir a Lição dos Ipês

Chegou o B-R-O BRÓ e o momento de ouvir a Lição dos Ipês
Por Alexandra Teodoro
Foto: AssessoriaVagner Ribeiro
Vagner Ribeiro

A nova música do cantor e compositor Vagner Ribeiro, Lição dos Ipês, é uma ode ao B-R-O BRÓ, sigla que representa os quatro últimos meses do ano e que tem como principal característica as altas temperaturas no Nordeste brasileiro. O período, que já é conhecido dos piauienses, desperta muitas emoções e poeticamente inspira poetas, artistas e músicos. Lição dos Ipês já está disponível em todas as plataformas digitais.

Ouça clicando aqui: bit.ly/licaodosipes

“Essa nossa luz excessiva faz uma radiografia da nossa alma, ou melhor dizendo, uma heliografia da nossa alma humana e poética. Tem até um poeta piauiense chamado Martinho Napoleão que tem um poema lindo chamado Prelúdio que diz: o sol de tão intenso atravessa a alma dos meus patrícios e é por isso que há tantos poetas na minha terra.”

Vagner continua dizendo que essa “quintura” reflete e não deixa ninguém se esconder, fazendo com que todos acabem se revelando. “Se tiver poesia vai sair poesia.” Além disso, os ipês são um símbolo que acaba sendo cultuado na cidade, estão presentes na paisagem, nos jardins, parques, ornamentando as avenidas, nos cartões postais. Alguns ipês recebem tanto destaque que se tornam famosos como o ipê imperador, que ficava localizado próximo à Av. Frei Serafim e se destacava pela quantidade de flores e imponência visual.

Os ipês e o bumba meu boi foram os elementos explorados na construção da canção, pois são todos os mimos da alma piauiense. A canção tenta dirimir os conflitos entre o Boi Estrela Dalva com o Boi Imperador da Ilha e também o Boi Riso da Mocidade, dessa forma o compositor reflete sobre as contribuições de dores e de risos que formam os conflitos que todos acabamos sentindo ao longo da vida.

Por isso, o ipê também acaba sendo uma grande metáfora do renascimento, pois quando chega o período mais quente da região a árvore parece perder a vida quando na verdade “papoca em flor” e se mostra majestosa. Da mesma forma é o boi que morre, mas renasce na dimensão da cultura popular para trazer alegria para a população.

A arte da capa foi desenvolvida pelo artista visual Alisson Carvalho, que conta que além de já ser um admirador de Vagner Ribeiro encontrou na canção imagens poéticas que sempre vivenciou e que foram traduzidas em cada verso da canção. “Como apaixonado pelas manifestações da cultura popular eu fui tocado de cara pela letra da música e não tardou muito para pincelar as cores dos versos. A sensação de criar para um trabalho do Vagner foi como assistir às suas apresentações musicais regrada de múltiplos elementos sobre a cultura piauiense”, pontua.

A música traz um ritmo inspirado no bumba meu boi e Vagner Ribeiro usa na canção o sotaque de pancadaria com o uso de matracas. “Quando o tempo esquenta e o sol vem pra matar. Quando a alma ressecada esmorecer, os ipês papocam flores pelo mundo. Vão lembrando que é preciso renascer”, canta Vagner Ribeiro.

Saiba mais sobre: