Vacinação contra a Covid para crianças começa nos estados; veja calendário

São Paulo aplicou as primeiras doses ainda na sexta-feira (14) em um evento simbólico.
Por globo.com

Ao menos doze estados brasileiros anunciaram o início da campanha de vacinação para as crianças contra a Covid-19 para este sábado (15), segundo um levantamento do g1.

Na sexta (14), algumas capitais brasileiras adiantaram a largada com atos simbólicos, como São Paulo, que aplicou a 1ª dose no indígena Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos.

Governo não exigirá receita médica para vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid

O primeiro lote da vacina da Pfizer contra Covid-19 para crianças chegou ao Brasil ainda na quinta-feira (13) e 1.248.000 doses foram distribuídas pelos estados.

Veja abaixo como fica o calendário para a vacinação das crianças pelo Brasil. 

Acre: 17 de janeiro

Alagoas: 17 de janeiro

Amapá: 17 de janeiro

Amazonas: 17 de janeiro

Bahia: 15 de janeiro

Ceará: 15 de janeiro

Espírito Santo: 15 de janeiro

Maranhão: 15 de janeiro

Minas Gerais: 15 de janeiro

Pará: 15 de janeiro

Paraíba: 15 de janeiro

Pernambuco: 15 de janeiro

Piauí: 17 de janeiro

Rio de Janeiro: 15 de janeiro

Rio Grande do Norte: 15 de janeiro

Rio Grande do Sul: 19 de janeiro

Rondônia: 17 de janeiro

Santa Catarina: 15 de janeiro

São Paulo: 17 de janeiro

Sergipe: 15 de janeiro

De acordo com o governo, a vacinação infantil ocorrerá:

Em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para crianças quilombolas e indígenas

Sem necessidade de autorização por escrito, desde que pai, mãe ou responsável acompanhe a criança no momento da vacinação

Com intervalo de oito semanas – um prazo maior que o previsto na bula, de três semanas.

Vacina é segura

Os especialistas ouvidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que falaram durante a aprovação da vacina para as crianças consideraram que os benefícios superam os riscos.

"A carga da doença [Covid-19] não é desprezível. A mortalidade dessas crianças nessa faixa etária é elevada – superior a qualquer outra vacina do calendário infantil, onde nós não hesitamos em recomendar as vacinas para as crianças dessa faixa etária", frisou Renato Kfouri, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria e diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

"Só a Covid-19, nessa população em especial – crianças e adolescentes – mata mais do que todas as doenças do calendário infantil somadas, juntas, anualmente", reforçou Kfouri.

"A gente fala que só 0,4% das mortes ocorrem nos menores de 20 anos, mas 0,4% de 600 mil mortes são mais de 2.500 crianças e adolescentes que perderam a vida para a Covid. Em dois anos, esse total de mortes é maior do que todo o calendário infantil", disse o médico.

"Se somarmos todas as mortes por coqueluche, diarreia, sarampo, gripe, meningite, elas não somam 1.500 por ano. A Covid-19 é uma doença prevenível por vacina que mais mata nossas crianças”, concluiu.

A infectologista Rosana Richtmann, da Sociedade Brasileira de Infectologia, lembrou que, nos Estados Unidos, já foram aplicadas mais de 5 milhões de doses da vacina em crianças de 5 a 11 anos, "com a segurança dentro do que a gente quer em relação a essa vacina", afirmou.

"São mais de 2.500 crianças e adolescentes que nós perdemos no nosso país, um grande impacto dessa doença nessa população. Eu vejo como excelente a vinda de uma vacina em termos de proteção para essas crianças", reforçou Richtmann.