Prevent Senior recomendou tratamento paliativo para paciente com Covid-19

Os pacientes não estava em estado terminal, indicam documentos
Por globo.com

Familiares de um paciente da Prevent Senior que teve Covid-19 reuniram documentos que indicam que operadora adotou tratamento que deveria ser oferecido apenas para pacientes incuráveis. Senador Otto Alencar afirma que CPI tem provas de que operadora realizava 'eutanásia disfarçada'. Em nota, Prevent Senior disse que não toma decisões com base em custos.

Familiares de um paciente da Prevent Senior que teve Covid-19 acusam a operadora de recomendar a adoção de tratamento paliativo, que deveria ser oferecido apenas trazer conforto a pacientes incuráveis, para o advogado Tadeu Frederico de Andrade, de 65 anos. Segundo a família, o cuidado paliativo seria adotado em detrimento de outros procedimentos.

Recuperado, Tadeu encaminhou na última sexta-feira (24) uma denúncia ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP). Entre os documentos enviados está um prontuário médico no qual uma médica da operadora orienta a suspensão de uma série de procedimentos médicos, como medicação intravenosa e hemodiálise, e também pede que o paciente não seja submetido a manobra para reanimação cardiorrespiratória.

Os familiares afirmam que a suspensão de cuidados por pouco não foi adotada sem sua concordância.

O advogado ficou 120 dias internado em um hospital da rede em São Paulo após ser diagnosticado com coronavírus e receber da operadora o chamado kit Covid, um conjunto de remédios que inclui medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19.

Em nota, a Prevent Senior disse que a operadora não toma decisões com base em custos e que, no caso em questão, a empresa deu todo o suporte ao paciente, acatando a vontade dos familiares.

Em meio à CPI da Covid-19 no Senado, o senador Otto Alencar declarou nesta segunda (27) que a comissão tem provas de que a operadora realizava "eutanásia disfarçada" em casos como os do paciente Tadeu de Andrade. A denúncia do paciente também foi encaminhada à CPI.