Itaú Cultural lança Cena Agora, programação voltada à criação de cenas

De 15 a 18 de abril (quinta-feira a domingo) o Itaú Cultura estreia a programação virtual
Por Alexandra Teodoro
Foto: AssessoriaClowns de Shakespeare_foto Rafael Telles
Clowns de Shakespeare_foto Rafael Telles

De 15 a 18 de abril (quinta-feira a domingo) o Itaú Cultura estreia a programação virtual Cena Agora, projeto do Núcleo de Artes Cênicas que tem como proposta exibir cenas criadas especialmente para o programa a partir de alavancas poéticas provocadas por questões atuais. Nesta primeira edição, a temática Encruzilhada Nordeste(s): (contra)narrativas poéticas conduz uma programação de bate-papos e seis apresentações de artistas de cinco diferentes estados da região. A proposta é criar uma pluralidade de perspectivas sobre o tema, questionando as construções estereotipadas ou colonizadas das identidades nordestinas diante da diversidade polifônica desse universo.

Todas as atividades acontecem às 20h pela plataforma Zoom e são seguidas por conversas dos elencos com críticos e artistas convidados. Gratuitos, os ingressos devem ser reservados via Sympla. Para mais informações, basta acessar www.itaucultural.org.br.

Cena Agora – Encruzilhada Nordeste(s): (contra)narrativas poéticas tem início no dia 15 (quinta-feira) com uma mesa de abertura, que leva ao público um olhar para o tema da programação antes de leva-lo à cena. Para tanto, reúne a encenadora, pesquisadora e pedagoga teatral Maria Thais e o historiador Durval Muniz de Albuquerque Jr., autor do livro A invenção do Nordeste e outras artes, que serviu de base para o premiado espetáculo teatral A invenção do Nordeste, do grupo Carmin, do Rio Grande do Norte. Este conta a história de um diretor que é contratado para selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Os selecionados para o papel passam a refletir sobre sua identidade, cultura e história pessoal, descobrindo que ser e viver um personagem nordestino não é fácil.

Foto: AssessoriaFabíola Nansurê_foto Magali Moraes
Fabíola Nansurê_foto Magali Moraes

Criações

De 16 a 18 (sexta-feira a domingo), as reflexões são levadas ao Palco Virtual com a exibição de duas cenas de no máximo 15 minutos a cada noite do Cena Agora. Em seguida, o público é convidado a participar de um bate-papo com os elencos e críticos e artistas convidados.

Foto: AssessoriaOnisajé
Onisajé

Na sexta-feira, 16, o grupo de teatro Clowns de Shakespeare, do Rio Grande do Norte, apresenta uma cena feita para o Encruzilhada Nordeste, tentando unir as provocações do tema à pesquisa que o grupo vem fazendo sobre criação cênica online. No trabalho, o elenco dirigido por Fernando Yamamoto propõe uma relação de jogo com o público, questionando recorrências do senso comum em relação ao fluxo dos nordestinos para o sudeste, tanto em um recorte histórico, quanto em um contexto mais atual – em especial sobre São Paulo ser a nova capital do nordeste.

A programação traz, ainda, Onan Yá – A caminhada da sacerdotisa, da diretora teatral e dramaturga baiana Onisajé, que assina a direção, o roteiro e a concepção do trabalho. No trabalho, a atriz e dançarina Fabíola Nansure e o ator Nando Zâmbia narram, cênica e poeticamente, um pequeno recorte da caminhada de vida da yalorixá Mãe Rosa de Oyá, sacerdotisa do Ilê Axé Oyá L´adê Inan, na cidade baiana de Alagoinhas. A cena conta a importância da ação sacerdotal de Mãe Rosa, que também participa da exibição, e o encruzilhamento de suas identidades de mulher negra, nordestina, periférica, sacerdotisa de axé e as reverberações dessas identidades em sua história de vida. 

Neste dia, a conversa após as exibições é conduzida pelas críticas teatrais Ivana Moura e Pollyana Diniz, responsáveis pelo site especializado em teatro Satisfeita, Yolanda?

Heróis

No final de semana, a programação abre com cenas que levam ao público figuras em situações ou dilemas heroicos.

No sábado, dia 17, o coletivo No barraco da Constância tem! do Ceará, apresenta O Desaparecimento do Jangadeiro Jacaré em Alcácer-Quibir. Ele parte da história real do jangadeiro cearense Manuel Olímpio Meira (1903-1942), conhecido como Jacaré, que em 1941 viajou até o Rio de Janeiro para reivindicar ao presidente Getúlio Vargas os direitos trabalhistas de sua classe pesqueira. Depois de uma bem sucedida empreitada, ele foi convidado, no ano seguinte, pelo cineasta Orson Welles, a participar de um filme sobre os pescadores e a reproduzir com sua tripulação a cena da chegada dos jangadeiros à baía de Guanabara. Porém, durante as gravações, a embarcação virou e Jacaré desapareceu para sempre.

Na cena, na história, na rede ou no tecido do espaço e do tempo, essa fenda apresenta inúmeras hipóteses a respeito do sumiço de Jacaré e de sua saga. A fábula do nordestino em direção ao epicentro do Brasil toma outros rumos, inaugurando novas possibilidades empreendedoras com a profecia do seu reaparecimento.

O outro convidado da noite é o Coletivo de Dança-teatro Agridoce, de Pernambuco, que apresenta a cena Rhizophora – Estudo nº 01. Baseado no romance Homens e Caranguejos, de Josué de Castro, conta a história do anti-herói João Paulo, que se vê em um dilema quando a construtora onde ele trabalha o comunica que o novo projeto no qual ele irá trabalhar será a construção de um condomínio de luxo no lugar onde fica a comunidade onde ele morou. Entre lembranças da infância ribeirinha nos manguezais e planejamentos megalomaníacos, ele começa uma grande viagem ao passado e um retorno a sua ancestralidade, um reencontro consigo e um dilema entre salvar ou não o homem-caranguejo que ele já foi.

Foto: AssessoriaTeatro Itaú
Teatro Itaú

O ator, diretor e dramaturgo amazonense Henrique Fontes é quem faz a mediação da conversa com os elencos e o público nessa noite. Autor da dramaturgia da premiada peça A Invenção do Nordeste, ao lado de Pablo Capistrano, Fontes é, ainda, sócio-fundador e atual presidente do Espaço Cultural Casa da Ribeira, no Rio Grande do Norte.

Corpo

No domingo, 18, última noite da programação, Cena Agora – Encruzilhada Nordeste(s): (contra)narrativas poéticas reúne trabalhos que discutem a temática central a partir da relação com o corpo. As críticas Pollyana Diniz e Ivana Moura também conduzem a rodada de conversas neste dia.

​Do Maranhão, Boca coloca em cena o artista Erivelto Viana, sob direção de Urias de Oliveira. Partindo da ideia da boca como uma energia evocação, são colocados em questão o dentro, o fora, o centro, o tudo e o nada. Boca é o que tudo come, buraco da criação, um lugar de passagem, atravessamento, encruzilhadas. ​​Energia evocação no encontro (entre) eu​/Exu.​ O dentro, o fora. O tudo e o nada. O centro. Boca que tudo come, buraco da criação. Corpo lugar de passagem, atravessamento, encruzilhadas.​

Foto: AssessoriaMãe Rosa de Oyá
Mãe Rosa de Oyá

Por fim, da Bahia, o grupo Dimenti apresenta Web-Strips: Volume Encruzilhadas, que tem como ponto de partida o projeto de 2018 Strip Tempo – stripteases contemporâneos, motivado pela pergunta: como despir a poética de uma carreira? Com direção de Jorge Alencar e codireção de Larissa Lacerda e Neto Machado, a cena reúne na configuração de vídeo-performances os artistas Fábio Osório Monteiro, Jaqueline Elesbão e João Rafael Neto, que desnudam corpos, casas, carreiras, a memória e o digital.

Produzidos durante o período da pandemia, os vídeo-performances, com duração média de quatro minutos, revelam zonas relativamente ocultas do corpo e da carreira de cada artista. A proposta é trazer outras percepções ao termo striptease (do inglês strip, desnudar; e tease, provocar), gênero tão popular quanto marginal, presente desde as casas noturnas até os clássicos do cinema.

SERVIÇO:  

Cena Agora – Encruzilhada Nordeste

De 15 a 18 de abril (quinta-feira a domingo), sempre às 20h

No site do Itaú Cultural: www.itaucultural.org.br  

Confira a programação completa no material anexado. 

 Itaú Cultural 

www.itaucultural.org.br 

www.twitter.com/itaucultural 

www.facebook.com/itaucultural 

www.youtube.com/itaucultural 

Assessoria de imprensa:   

Conteúdo Comunicação   

Cristina R. Durán: (11) 9 8860 9188   

[email protected] 

Larissa Corrêa: (11) 9 8139-9786 / 9 9722 1137  

[email protected] 

Mariana Zoboli: (11) 9 8971 0773  

[email protected]  

Roberta Montanari: (11) 9 9967 3292  

[email protected]    

Vinicius Magalhães: (11) 9 9295 7997  

[email protected]   

Programa Rumos Itaú Cultural:  

Carina Bordalo: (11) 9 8211 6595  

[email protected] 

www.conteudocomunicacao.com.br 

www.twitter.com/agenciaconteudo 

www.facebook.com/agenciaconteudo 

Saiba mais sobre: