Brasil volta a registrar mais de 3 mil mortes por Covid-19 após quatro dias

Nas últimas 24h foram notificados 3.025 óbitos, elevando para 411.854 o total de vidas perdidas
Por globo.com

Após quatro dias, o Brasil voltou a registrar, nesta terça-feira, mais de 3 mil mortes em decorrência da Covid-19. Em 24h foram notificados 3.025 óbitos, elevando para 411.854 o total de vidas perdidas no país para o coronavírus. A média móvel foi de 2.361 mortos, 15% menor que o cálculo de duas semanas atrás.

Desde às 20h de segunda-feira, 69.378 novos casos foram notificados pelas secretarias de saúde, totalizando 14.860.812 infectados pelo Sars-CoV-2. A média móvel foi de 59.182 diagnósticos positivos, 7% menor do que o cálculo de 14 dias atrás.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Vacinômetro:  Saiba como avança a campanha de vacinação no Brasil e em outros países

Vinte e seis unidades federativas do Brasil atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 nesta terça-feira. Em todo o país, 32.881.298 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante, o equivalente a 15,53% da população brasileira. A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 16.723.761 pessoas, ou 7,90% da população nacional.

Um levantamento divulgado pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) mostra que as mortes de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem apresentaram queda no mês de abril em todo o país. Embora março tenha sido o terceiro mês mais letal desde o início da pandemia, com 83 profissionais mortos — perdendo para abril e maio do ano passado — o mês de abril teve uma redução de 71% no número de óbitos entre estes profissionais, com 24 casos.

Para Walkirio Almeida, membro do Comitê de Crise da Covid-19 do Cofen e chefe do Departamento de Gestão do Exercício Profissional da Enfermagem do conselho, a queda do número de mortes se deve à cobertura vacinal.